Entenda as principais diferenças entre whey protein x proteína vegetal!

Tempo de Leitura: 6 minutos Com tantas opções de suplementos proteicos no mercado, as vezes fica difícil saber as diferenças entre eles e decidir qual […]

Com tantas opções de suplementos proteicos no mercado, as vezes fica difícil saber as diferenças entre eles e decidir qual é a melhor opção para você. Vamos então começar do começo, entendendo a nomenclatura.

Provavelmente você já deve ter ouvido os seguintes termos: whey protein, proteína vegetal, whey vegano, proteína vegana, suplemento de proteína, entre outros. De forma geral, existem 2 categorias de suplementos proteicos, os de origem animal e os de origem vegetal.

Como o nome já diz, os de origem animal tem como base ingredientes de origem animal, como leite, ovo e carne, por exemplo

Já os de origem vegetal, vem dos alimentos de origem vegetal, como arroz, ervilha, lentilha, soja, entre outros.

Os mais conhecidos e utilizados atualmente são whey protein, arroz e ervilha…e é sobre eles que vamos falar no texto de hoje!

Whey protein

Whey protein:

Whey protein é um termo em inglês que significa proteína do soro do leite, portanto todo e qualquer whey protein é de origem animal, pois sua matéria prima é o leite

É comum ouvir ou ler o termo whey vegano, mas esse termo está errado, já que a tradução de whey é soro do leite, portanto o whey nunca será vegano, sempre será de origem animal.

proteína vegetal

Proteínas vegetais:

Os suplementos proteicos veganos são aqueles feitos através de ingredientes de origem vegetal e sua nomenclatura normalmente será proteína vegetal, proteína vegana ou suplemento proteico vegetal

Atualmente, a maioria dos suplementos proteicos vegetais são feitos de arroz e / ou ervilha.

whey x proteína vegetal

Principais diferenças entre whey protein e proteínas vegetais:

– O whey protein sempre será de origem animal, portanto não é apto para veganos

– O whey protein sempre será feito com leite, portanto não é apto a pessoas com alergia ao leite e seus compostos ou que tenham certo grau de intolerância a lactose

– As proteínas vegetais possuem menor potencial alergênico, sendo mais indicada ao público mais sensível a alergias alimentares

– O whey protein tem um bom perfil de aminoácidos naturalmente, porém a combinação das proteínas vegetais também oferece um bom perfil de aminoácidos

– Não há diferença na qualidade da proteína vegetal ou whey protein, sendo que ambos desempenham a mesma função no organismo

– A quantidade de proteína por dose pode variar entre o whey protein e a proteína vegetal, dependendo da marca escolhida

– As proteínas vegetais possuem menor impacto ambiental, utilizando menos terra, água e energia para serem produzidas

– A dissolução do whey protein costuma ser mais fácil, porém a tecnologia atual permite excelente solubilidade e sabor das proteínas vegetais, dependendo da marca

– Tanto o whey protein quanto a proteína vegetal são boas opções para fornecer proteína ao organismo no pós-treino

 

Mas, e para hipertrofia muscular?

A hipertrofia muscular é o aumento da massa muscular e ela acontece através do estímulo do treino de força e do consumo adequado de proteína, que é justamente a matéria prima para essa construção acontecer.

Alguns aminoácidos específicos (valina, leucina e isoleucina) são essenciais para esse processo acontecer, portanto a escolha de um suplemento proteico que tenha um bom perfil de aminoácidos é importante para o processo de hipertrofia muscular, além de consumir a quantidade adequada de proteína.

O whey protein entrega naturalmente esses aminoácidos, enquanto as proteínas vegetais fazem essa entrega de forma mais completa quando combinadas entre si, principalmente a combinação de proteína de arroz com proteína de ervilha.

De qualquer forma, estudos científicos mostram que tanto o whey protein quanto a proteína vegetal são eficazes na promoção de hipertrofia muscular, desde que a quantidade de proteína ideal seja alcançada!

Como consumir:

Os suplementos proteicos tem como grande vantagem sua versatilidade! Por serem em pó e não necessitarem de refrigeração, podem ser transportados facilmente e consumidos das mais diversas formas.

Batidos em shakes, com frutas, leites vegetais ou mesmo água, é a forma mais comumente consumida! Mas eles podem ser utilizados em receitas de muffins, bolinhos e panquecas, por exemplo. Também podem ser adicionados ao mingau ou cremes gelados, como açaí. Outra opção, é utilizar a versão sem sabor e complementar receitas salgadas, como sopas e pastinhas para passar no pão e sanduíche.

Uma boa dica é, antes de comprar um pote grande de uma proteína, experimente a versão em sachê ou doses individuais, assim você pode provar diversos sabores e ver qual é o seu preferido!

E lembre-se, os suplementos proteicos devem ser consumidos como um complemento da alimentação e não como base! Priorize sempre os alimentos e suplemente quando necessário!

 

Fontes:

Babault N, et al. “Pea proteins oral supplementation promotes muscle thickness gains during resistance training: a double-blind, randomized, Placebo-controlled clinical trial vs. Whey protein. ” J Int Soc Sports Nutr. 2015

Banaszek, Amy et al. “The Effects of Whey vs. Pea Protein on Physical Adaptations Following 8-Weeks of High-Intensity Functional Training (HIFT): A Pilot Study.” Sports (Basel, Switzerland), 2019.

Gostou? Conheça nossa linha completa de produtos. Todos sem lactose, sem açúcar e sem adição de açúcar. Experimente!

Texto escrito por:
Marcela Worcemann 
Nutricionista Esportiva e Plant Based
CRN3: 47052

Nutricionista Marcela Worcemman

Eat Clean

por

Eat Clean