Melhor momento do dia para consumir açúcar

Tempo de Leitura: 8 minutos Se você é formiga, mas gostaria de melhorar seu consumo de doces e açúcares, esse texto é pra você! Difícil […]

Se você é formiga, mas gostaria de melhorar seu consumo de doces e açúcares, esse texto é pra você!

Difícil encontrar alguém que não goste de um docinho, né? Os doces têm um papel importante na nossa vida, pois são muito utilizados em momentos de celebrações, comemorações e conforto. Porém, não podemos deixar de falar que, dependendo do tipo de doce escolhido, pode ser muito calórico, rico em gordura, ingredientes refinados ou processados e não muito saudáveis. Mas, como em tudo na vida, equilíbrio e bom senso são as chaves para que os docinhos possam fazer parte da nossa vida de uma forma saudável e deliciosa….e é sobre isso que vamos falar hoje!

 

Tipos de açúcar

Antes de começar a falar sobre os doces, combinações e melhores momentos para consumi-lo, vamos conhecer um pouco mais sobre alguns tipos de açúcares existentes e suas principais diferenças:

Açúcar cristal: É o açúcar refinado, muito usado na indústria alimentícia e está na composição de grande parte dos alimentos industrializados. Por passar por um processo de refinação e adição de aditivos químicos, esse tipo de açúcar perde praticamente todas as suas vitaminas e minerais, oferecendo calorias vazias. Por ser um açúcar solúvel, muitas vezes é usado em maior quantidade para adoçar.

Açúcar light:  Esse tipo de açúcar é misturado com adoçantes, para que o consumidor possa utilizar menos e adoçar mais com teor calórico reduzido. Porém, lembre-se: mesmo sendo light, não é indicado para diabéticos e não deve ser consumido em excesso.

Açúcar orgânico: A principal diferença entre esse tipo de açúcar e o açúcar cristal é que ele é produzido sem o uso de pesticidas, herbicidas ou qualquer outro agrotóxico. Por ele ser orgânico não é utilizado nenhum ingrediente artificial e ele tamanho, é mais saudável, porém contem a mesma quantidade de calorias que o açúcar comum.

Açúcar demerara: Este açúcar passa por um processo de purificação e refinamento assim como o açúcar cristal, mas a diferença entre os dois é que no demerara não é utilizado aditivos químicos, então é uma opção mais saudável, porém com a mesma quantidade de calorias.

Açúcar mascavo: É um açúcar que é extraído do cozimento do caldo de cana, não passando por nenhum refinamento, sendo preservado a quantidade de cálcio, ferro, zinco e suas vitaminas. Mais nutritivo, porém com a mesma quantidade de calorias.

Açúcar de coco: Um dos açúcares que mais possui nutrientes por ser extraído da seiva do coqueiro e não do fruto do cocô. É minimamente processado e sem nenhum aditivo ou processo de refinamento. Opção mais nutritiva, porém com valor calórico semelhante ao açúcar tradicional.

Adoçantes

Para quem não quer abrir mão de um docinho, porém quer uma opção menos calórica, as alternativas com adoçantes naturais são excelentes opções!

Stevia e xilitol são os tipos mais encontrados em doces prontos sem açúcar, mas também podem ser comprados separadamente para serem utilizados em receitas caseiras.

O xilitol é um adoçante natural proveniente da casca de algumas frutas e vegetais. Tem um sabor muito parecido com o açúcar e poder de dulçor semelhante, porém com uma redução calórica de cerca de 40%. É bem aceito pela maioria das pessoas e substitua muito bem o açúcar. Por ser um adoçante a base de fibras, pode fermentar no intestino e promover maior formação de gases quando consumido em excesso ou por pessoas sensíveis.

Já a stevia é retirada de uma planta chamada stevia rebaudiana, possui zero calorias,  adoça cerca de 300 vezes mais que o açúcar e é 100% natural. Algumas versões da stevia possuem sabor que pode conter um leve amargor final, porém processos naturais já permitem chegar a uma versão final sem esse retrogosto, sendo cada vez melhor aceita pela maioria das pessoas.

tipo de açúcar

Melhor momento para consumir doces

Em primeiro lugar, é muito importante que saibamos distinguir no nosso dia a dia, a fome e a vontade de comer. Sem dúvidas, na maioria das vezes que desejamos um docinho, não estamos exatamente com fome, mas sim com vontade de comer algo doce. Isso não é um problema, desde que seja feito com moderação. Porém, se não conseguimos distinguir exatamente essas duas situações, podemos nos alimentar de forma impulsiva, sem fazer boas escolhas e, consequentemente, impactar negativamente a saúde e a forma física.

E como podemos fazer essa distinção? A fome fisiológica é aquela na qual quando sentimos podemos comer qualquer coisa para sanar a fome, já a vontade de comer é aquela na qual nós nem sabemos o que queremos direito e temos preferência por alimentos mais palatáveis, principalmente alimentos ricos em gordura e açúcar.

A busca por prazer na comida e por esse tipo de alimento ativa em nosso cérebro o nosso sistema de recompensa onde há liberação de dopamina e uma alimentação baseada sempre na vontade de comer e na busca por prazer pode diminuir ou anular a capacidade do nosso corpo de regular o consumo dos alimentos com saciedade.

Por isso o consumo deve ser feito sempre com consciência e em momentos estratégicos não sendo necessária a total privação de açúcar, mas fazer o consumo com consciência.

Afinal, qual o melhor momento para se consumir doces?

Existem 3 boas opções para preferir incluir os doces:

  • Após as principais refeições
  • Pré-treino
  • Pós-treino

Vamos entender os motivos?

– Quando consumimos um doce após um almoço, por exemplo, que normalmente é uma refeição rica em fibras e proteína, o açúcar que contido no doce não será absorvido tão rapidamente como se tivesse sido consumido isoladamente, logo não teremos um pico tão grande de glicose e insulina no sangue. Evitar esses picos é importante tanto para o controle do apetite quanto para o controle da glicemia e prevenção de diabetes, por exemplo.

– Outro bom motivo de comer o doce logo após uma refeição principal é a quantidade que será consumida. Como a fome já foi controlada pela refeição principal, provavelmente a quantidade de doce consumida será menor nesse momento.

– Consumir doce no pré-treino, é o momento em que o doce lhe dará energia imediata e essa energia será usada durante o treino. Mas se for um treino longo, vale a pena fazer uma refeição mais reforçada para evitar que essa energia rápida acabe logo e, como rebote, você tenha uma queda de energia ou hipoglicemia

– Já o consumo no pós-treino é interessante pois é uma forma de repor energia rapidamente e é um momento em que a demanda por carboidrato no organismo é maior também. Mas lembre-se que nesse momento é importante também repor as proteínas!

 

Opções mais saudáveis para quem quer evitar o açúcar

Você já pensou que alimentos saudáveis e sem açúcar podem te dar tanto prazer quanto consumir um doce tradicional? Veja alguns exemplos:

Baixe o nosso e-book com sugestões de receitas aqui!

Gostou? Conheça nossa linha completa de produtos. Todos sem lactose, sem açúcar e sem adição de açúcar. Experimente!

Texto escrito por:
Marcela Worcemann 
Nutricionista Esportiva e Plant Based
CRN3: 47052

Nutricionista Marcela Worcemman

Eat Clean

por

Eat Clean